Pesquisar  Meio Ambiente Ciência Duvidas Home

  

Desaparecidos Emprego

Endereços Úteis

Bate Papo Noticias Fale Conosco

Geografia de Campina Grande PB

 

Campina Grande é uma cidade brasileira do estado da Paraiba. É considerada um dos principais polos industriais e tecnológicos da Região Nordeste. Campina Grande foi fundada em 1º de dezembro de 1697, tendo sido elevada à categoria de cidade em 11 de outubro de 1864.
 

"Rainha da Borborema"
"Capital do Trabalho"
"Cidade Universitaria"
"Tech City"
"Capital do Interior Nordestino"

Aniversário 11 de outubro
Fundação 1864 (144–145 anos)
Gentílico campinense
Unidade federativa Paraíba
Mesorregião Agreste Paraibano
Microrregião Campina Grande
Região metropolitana
Municípios limítrofes Norte: Lagoa Seca, Massaranduba, Pocinhos e Puxinanã
Sul: Boqueirão, Caturité, Fagundes e Queimadas
Leste: Riachão do Bacamarte
Oeste: Boa Vista.
Distância até a capital 120 quilômetros
Características geográficas
Área 998,63 km²
Altitude 552 metros
Clima tropical
Fuso horário UTC-3
Indicadores
IDH 0,721 médio PNUD/2000
PIB R$ 2.718.189 mil
PIB per capita R$ 7.156,00
Brasão de Campina Grande

Brasão de Campina Grande

Bandeira de Campina Grande

Bandeira de Campina Grande


A cidade possui uma agenda cultural variada, destacando-se os festejos de São João, que acontecem durante todo o mês de junho (chamado de "O Maior São João do Mundo"), a Micarande, um dos mais tradicionais carnavais fora de época do país, o Encontro da Nova Consciência, um encontro ecumênico realizado durante o carnaval, além do Festival de Inverno.

Campina Grande tem destaque nas áreas de informática, serviços (saúde e educação), no comércio e na indústria, principalmente indústria de calçados e têxtil, que são suas principais atividades econômicas. Sedia empresas de porte nacional e internacional.

Campina Grande também é conhecida como cidade universitária, pois conta com duas universidades públicas. É comum estudantes do Nordeste e de todo o Brasil virem morar no município para estudar nas universidades locais. Além de ensino superior, o município oferece capacitação para o nível médio e técnico.



Localização

Açude Velho e parte do Centro de Campina GrandeA cidade localiza-se no interior do estado da Paraíba, no agreste paraibano, na parte oriental do Planalto da Borborema, na serra do Boturité ou Bacamarte, que estende-se do Piauí até a Bahia. Está a uma altitude média de 555 metros acima do nível do mar. A área do município abrange 599,6 km².

Fazem parte do município de Campina Grande os seguintes distritos: Catolé de Boa Vista, Catolé de Zé Ferreira, São José da Mata, Santa Terezinha e Galante.

Distâncias entre Campina Grande e algumas capitais brasileiras:

110 km - João Pessoa
75 km - Cabaceiras
181 km - Recife
270 km - Natal
374 km - Maceió
541 km - Aracaju
709 km - Fortaleza
879 km - Salvador
1 530 km - São Luís
2 378 km - Rio de Janeiro
2 700 km - São Paulo
1 020 km - Teresina
 


População

Houve uma época em que Campina Grande teve um crescimento anormal, devido ao cultivo do algodão, no início do século XX até o final da década de 1930.


Influência política e econômica
Campina Grande exerce grande influência política e econômica sobre o "Compartimento da Borborema", que é composto de mais de 60 municípios (1 milhão de habitantes) do estado da Paraíba. O Compartimento da Borborema engloba 5 microrregiões conhecidas como Agreste da Borborema, Brejo Paraibano, Cariri, Seridó Paraibano e Curimataú.

No dia 15 de setembro de 2004, a Assembleia Legislativa da Paraíba aprovou o projeto de lei que tinha como objetivo criar a Região Metropolitana de Campina Grande, que abrangia 22 municípios, sobre os quais Campina Grande exerce grande influência. O projeto estava previsto para ser efetivado no início de 2005. Os municípios participantes eram: Alagoa Nova, Areial, Aroeiras, Barra de Santana, Boa Vista, Boqueirão, Caturité, Esperança, Fagundes, Gado Bravo, Ingá, Itatuba, Lagoa Seca, Massaranduba, Matinhas, Montadas, Pocinhos, Puxinanã, Queimadas, Riachão do Bacamarte, São Sebastião de Lagoa de Roça, Serra Redonda. A região metropolitana teria uma população estimada de 1 milhão de habitantes.

No entanto, o governador Cássio Cunha Lima vetou o projeto no dia 21 de novembro. Os argumentos utilizados foram que, além de inconstitucional, uma vez que não é do Poder Legislativo, mas do Executivo a prerrogativa de tal iniciativa, ele pretendia realizar uma discussão com os prefeitos recém-eleitos para os municípios em questão, inclusive com o de Campina Grande.



Economia

Fábrica da CaranguejoVer artigo principal: Economia de Campina Grande
De acordo com estimativa do IBGE do ano de 2004, o PIB de Campina Grande foi de 2,442 bilhões de reais (0,16% do PIB nacional). Logo, houve um crescimento de 27,8 % entre os PIB dos anos de 2002 (1,6 bi) e 2004. Em 2004, Campina Grande se mostrou uma das cinco cidades com maior PIB do interior do Nordeste, que foram: Feira de Santana - BA (2,600 bi), Campina Grande - PB (2,045 bi), Ilhéus - BA (1,853 bi), Canindé de São Francisco - SE e Petrolina - PE (1,609) [8]. Neste ano, o setor industrial apresentou um bom desempenho, principalmente em vestuário e calçados.

As principais atividades econômicas do município de Campina Grande são: extração mineral; culturas agrícolas; pecuária; indústrias de transformação, de beneficiamento e de desenvolvimento de software; comércio varejista, atacadista e serviços. O município é grande produtor de software para exportação.

A posição privilegiada de Campina Grande contribui para que seja um centro distribuidor e receptor de matéria-prima e mão-de-obra de vários estados. Campina Grande tem grande proximidade com três capitais brasileiras: Natal, João Pessoa e Recife. Além disso, dentro do próprio estado, situa-se no cruzamento entre a BR-230 e a BR-104.


Setores
Até em 2003, Campina Grande possuía aproximadamente 1229 fábricas (atividade industrial), 200 casas de comércio atacadista e 3200 unidades de comérico varejista. No setor de prestação de serviços, Campina Grande é um importante centro econômico, especialmente para as dezenas de cidades que fazem parte do Compartimento da Borborema. Na agricultura, destaca-se o algodão herbáceo, feijão, mandioca, milho, sisal, além de outros produtos de natureza hortifrutigranjeira que representam 6000 toneladas mensalmente comercializadas. A pecuária atua em função da bacia leiteira. Já em 1934, era inaugurada a primeira usina de pasteurização do município.

A área de informática movimenta anualmente cerca de 30 milhões de dólares (o que ainda é bem pouco perto do grande potencial dos softwares), com cerca de 50 empresas de pequenas, médio e grande porte.


Administração

Mapa dos bairros de Campina GrandeCampina Grande possui o segundo maior colégio eleitoral da Paraíba com 266 516 eleitores distribuídos em 598 secções e quatro zonas eleitorais. O primeiro Colégio Eleitoral de Campina Grande foi criado em 1878, e possuía apenas 34 eleitores.


Prefeitos
Ver artigo principal: Lista de prefeitos de Campina Grande
Até 1895, as funções executivas de Campina Grande eram exercidas pelo Conselho Municipal. Em 2 de março de 1895, o cargo de Prefeito Municipal foi criado, pela Lei Estadual nº 27, sendo o primeiro prefeito de Campina foi o major Francisco Camilo de Araújo e o primeiro vice-prefeito Silvino Rodrigues de Sousa Campos.

Somente em 1947 o povo passou a escolher os prefeitos da cidade diretamente, através das eleições. O prefeito atual de Campina Grande é Veneziano Vital do Rêgo Segundo Neto.


Bairros e distritos
Ver artigo principal: Lista de bairros e distritos de Campina Grande
Existem oficialmente 49 bairros em Campina Grande. Recentemente novos bairros foram formados, como o bairro Jardim Borborema, dentro outros, que ainda não foram reconhecidos. Além desses bairros, Campina tem atualmente seis distritos, cujos os principais são Galante e São José da Mata.


Turismo e lazer
Guia de viagens sobre Campina Grande no Wikitravel.

O Maior São João do Mundo.Herdeira da cultura nordestina, Campina Grande luta por manter vivo o rico patrimônio representado pelas manifestações culturais e populares dessa região. A quadrilha junina, o pastoril, as danças folclóricas, o artesanato, etc., são alguns exemplos de manifestações da cultura popular que ainda encontram lugar na cidade.

Historicamente, Campina Grande teve, e continua tendo, papel destacado como pólo disseminador da arte dos mais destacados artistas arraigados na cultura popular nordestina, a exemplo dos "cantadores de viola", "emboladores de coco", poetas populares em geral. Especialmente na música, é inegável a importância desta cidade na divulgação de artistas do quilate de Luiz Gonzaga, Rosil Cavalcante, Jackson do Pandeiro, Zé Calixto, dentre muitos, e até pelo surgimento de outros tantos como Marinês, Elba Ramalho, etc. Eventos como "O Maior São João do Mundo", Festival de Violeiros, "Canta Nordeste", as vaquejadas que se realizam na cidade, além de programações específicas das emissoras de rádio campinenses, contribuem fortemente para a preservação da cultura regional.


Áreas verdes

Parque do Açude NovoAçude de Bodocongó (MAPA)
O Açude de Bodocongó é um açude originalmente criado por conta da escassez de água na região, uma vez que o Açude Novo e o Açude Velho já não estavam suprindo as necessidades da população. Além do mais, o Açude de Bodocongó fica muito distante dos Açudes Novo e Velho, podendo abastecer gente que morava muito longe do centro da cidade.

Açude Novo (MAPA)
O Açude Novo ou Parque Evaldo Cruz é um parque em formato circular que fica no Centro da cidade, próximo ao Parque do Povo. Atualmente trata-se de um parque de 46 875 m² com muitos bancos e árvores, assim como pequenos restaurantes que ficam em volta de uma fonte. Um grande obelisco se encontra no centro do parque. No passado, era um açude de verdade.

Açude Velho (MAPA)
O Açude Velho foi o primeiro açude que Campina Grande teve. Foi construído por causa da seca que o Nordeste enfrentou de 1824 a 1828. Assim, a construção do Açude Velho pelo governo provincial da Paraíba foi iniciada em 1828 e concluída em 1830, sendo, por quase um século, o maior açude de Campina Grande. É onde estão localizados o monumento -símbolo de Campina Grande "Os Pioneiros" e as estátuas de Luiz Gonzaga e Jackson do Pandeiro.


Pirâmide do Parque do PovoParque do Povo (MAPA)
O Parque do Povo, onde é realizado O Maior São João do Mundo, possui uma área de 42 mil e 500 metros quadrados situada no centro de Campina Grande. É no Parque do Povo que se situa a "Pirâmide do Parque do Povo", que é a única área coberta do Parque, em formato de uma pirâmide.


Vista da Praça da BandeiraPraça Clementino Procópio (MAPA)
A Praça Clementino Procópio, onde se encontra um monumento feito em homenagem a Teodósio de Oliveira Lêdo, bem como coretos e diversas estátuas, é popularmente também conhecida por "Praça dos Hippies".

Praça da Bandeira (MAPA)
A Praça da Bandeira, ou Praça dos Pombos, é o principal ponto de encontros devido principalmente a sua posição estratégina no coração do centro da cidade.

Outras áreas verdes
Como outras áreas verdes de Campina Grande, existem o Parque da Criança (MAPA), o Parque da Pedras, a Praça do Trabalho, dentre outras.


Shopping centers

Shopping Boulevard Campina Grande.Os principais shopping centers da cidade são (organizados em ordem pelo o seu tamanho): Shopping Boulevard Campina Grande (O maior shopping da cidade, contando com várias lojas âncoras, ver artigo principal), Shopping Cirne Center, Shopping Luiza Motta, Shopping Babilônia Center, Shopping Centro Edson Diniz, Shopping Maanaim Center e Shopping Campina Grande.


Eventos importantes

Evento "Encontro da Nova Consciência".
Evento"Micarande".Nome do evento Quando acontece
Encontro da Nova Consciência fevereiro, nos dias de Carnaval
Crescer - O Encontro da Família Católica fevereiro, nos dias de Carnaval
Encontro Para a Consciência Cristã fevereiro, nos dias de Carnaval
Movimento de Integração do Espírita Paraibano fevereiro, nos dias de Carnaval
Carnaval fevereiro
Vaquejada Ivandro Cunha Lima março
Campina Indoor Festival abril
O Maior São João do Mundo junho
Jamaicampina Julho
Electro Zone Julho
Festival Rock Campina Julho
Encontro Brasileiro de raperes e repentistas Julho
Festival de Inverno de Campina Grande agosto
Semana do Folclore e Artesanato agosto
Congresso de Violeiros agosto
Desfile civico de 7 de setembro setembro
Eco Games outubro
Encontro de Motociclismo de Campina Grande
Tropeiros do Asfalto - MC
outubro
Micarande outubro
Parada gay outubro
Encontro Nipon outubro
Vaquejada Maria da Luz outubro
Exposições de Animais outubro
Fettec - Feira Tecnologica de Campina Grande novembro
Noite do Rock em Campina Grande Dezembro
Paixão de Cristo Dezembro
Natal dos Sonhos Dezembro


Cultura

Teatro Municipal Severino Cabral durante o Encontro da Nova Consciência
Teatros
História
A história do teatro em Campina Grande tem início em 1925, quando foi fundado o "Teatro Apolo", o que acarretou no surgimento do primeiro grupo teatral campinense, "O Corpo Cênico do Grêmio Renascença".

A década de 1940 não ofereceu novidades para as artes cênicas em Campina. Na década de 1950, foi implantado o "Rádio-Teatro Borborema", por Fernando Silveira. Ainda nos anos 50, o pernambucano Raul Prhyston criou o grupo teatral "Os Comediantes", com principais peças sendo "A Mulher que Veio de Londres" e "A Vida tem três Andares". Atualmente existe um teatro com o nome deste pernambucado, o Teatro Raul Prhyston.

Em 1962, o Teatro Municipal Severino Cabral foi fundado, de grandes dimensões para a época, impulsionando o teatro campinense.

O Festival de Inverno de Campina Grande surgiu em 1975, divulgando e apresentando muitas peças e shows teatrais.

Na década de 1980, a crise econômica brasileira, que afetou o teatro, e a decadência física do Teatro Municipal Severino Cabral, reduziram o número de grupo teatrais, sendo esta época de poucos acontecimentos no campo das artes cênicas, a não ser pelo Festival de Inverno.

Os principais teatros de Campina Grande são: Teatro Municipal Severino Cabral (MAPA), Teatro Paulo Pontes (anexo do Municipal) (MAPA), Teatro Raul Prhyston, Teatro Rosil Cavalcanti (MAPA), Teatro Elba Ramalho e Teatro SESC Centro.


Museus

Museu Histórico e Geográfico de Campina Grande.Campina Grande possui seis museus, onde guardam-se partes importantes de acervos culturais. São eles:

Museu Histórico e Geográfico de Campina Grande (MAPA)
O acervo do Museu Histórico e Geográfico de Campina Grande dedica-se ao desenvolvimento histórico, social e cultural de Campina Grande. Possui Fotografias, artigos, mapas, móveis, armas, veículos, jóias, bonecos e ferramentas organizados de forma a contar a história da cidade.

Museu de Artes Assis Chateaubriand (MAPA)
O Museu de Artes Assis Chateaubriand é composto atualmente de 474 obras de arte. Nestas obras podem ser encontradas várias técnicas e procedimentos de artes, incluindo desenhos, pinturas, esculturas, gravuras, colagens e outros métodos. Apresenta a arte em diversos momentos do cenário brasileiro. A Coleção Assis Chateaubriand, com 120 obras, pode ser vista em parte no Prédio Histórico da Reitoria, na UEPB

Museu Luiz Gonzaga
O Museu de Luiz Gonzaga é um museu dedicado ao compositor popular Luiz Gonzaga. O acervo é composto de fotos, discos, jornais, gravações sobre o Rei do Baião Luiz Gonzaga.

Outros museus
Outros museus de Campina Grande são: Museu de História e Tecnologia do Algodão (Museu do Algodão) (MAPA) e o Museu do São João (MAPA)


Centros culturais
No Centro Cultural Lourdes Ramalho, a prefeitura de Campina Grande oferece diversos cursos (várias áreas, como dança, artes marciais, música, idiomas, etc.) em todos os turnos e horários, por mensalidades ou anualidades acessíveis à população em geral. Também existem outros centros ou espaços culturais: Espaço Cultural do SESC Centro, Espaço Cultural Casa Severino Cabral e o Centro de Cultura Hare Krisna.


Academia de letras
A cidade tem sua academia de letras, denominada Academia Campinense de Letras, entidade literária máxima em Campina Grande.


Bibliotecas

Biblioteca Municipal Felix Araújo.Biblioteca Átila Almeida da UEPB
Biblioteca Central da Universidade Federal de Campina Grande
Biblioteca do Museu Histórico e Geográfico de Campina Grande
Biblioteca do SESC Açude Velho
Biblioteca do SESC Centro (Campina Grande)|Biblioteca do SESC Centro
Biblioteca Municipal Félix Araújo

Campinenses famosos
Anésio Leão - poeta, escritor e político
Antônio Dias - Artista plástico
Biliu de Campina - cantor
Bráulio Tavares - escritor e cantor
Cássio Cunha Lima - político
Ednalva Laureano - atletismo
Elba Ramalho - cantora
Fábio Bilica - futebolista
Fred Ozanan - cartunista
Félix Araújo - político e poeta
Genival Lacerda - cantor
Ivan Gomes - lutador
Marinês - Rainha do Xaxado
Mike Deodato - desenhista de Quadrinhos (Mulher Maravilha, Hulk, Homem-Aranha)
Marcelinho Paraíba - futebolista
Raymundo Asfora - político e poeta
Shaolin - humorista
Zé Ramalho - Cantor

Esporte

Futebol

Ginásio "O Meninão"Há cinco clubes profissionais de futebol em Campina Grande, dentre os quais estão dois dos três times com mais títulos no Campeonato Paraibano de Futebol: Treze e Campinense. O clássico Treze vs. Campinense, conhecido como "Clássico dos Maiorais", faz lotar o Estádio "O Amigão".

Equipes locais
Campinense Clube - tem como cores o vermelho e o preto. É conhecido como "A Raposa". Deu destaque a jogadores hoje conhecidos a nível nacional e internacional, como Rodrigo Tabata, jogando atualmente no Gaziantepspor da Turquia, e Marcelinho Paraíba, atualmente no Coritiba. Tem estádio próprio, Estádio Renato Cunha Lima, também conhecido como "O Renatão". O Campinense tem 18 títulos estaduais, sendo que de 1960 a 1965 conseguiu o único Hexacampeonato estadual, feito este nunca alcançado por seus adversários.
Treze Futebol Clube - tem como cores o preto e o branco. Apelidado por seus torcedores de "Galo", também é conhecido como "O Galo da Borborema". É o mais popular clube do estado. Tem estádio próprio, Estádio Presidente Vargas. Em 2005 o time chegou ao quinto lugar na Copa do Brasil.
Associação Desportiva Perilima
Associação Atlética Leonel
Grêmio Serrano

Estádios
Estádio O Amigão (MAPA)
Estádio Presidente Vargas – C.T. do Treze Futebol Clube
Estádio Renato Cunha Lima – C.T. do Campinense Clube

Ginásios
Campina Grande conta com alguns ginásios: Complexo Esportivo Plínio Lemos, Ginásio BNB, Ginásio da AABB, Ginásio do Campestre, Ginásio do Trabalhador, Ginásio "O Meninão", dentre outros.


Transporte

Rodoviário
A cidade de Campina Grande possui um importante sistema rodoviário que possibilita sua interligação com as capitais, principais centros do Nordeste e demais cidades do estado e da Região. Normalmente, Campina Grande faz parte da maioria das rotas entre o interior (parte do Sertão e Agreste) e o litoral. Suas rodovias, totalmente asfaltadas, são composta pelas rodovias federais BR-104, BR-230, BR-412 e conexões BR-230/104 e Alça Sudoeste, além de outras rodovias estaduais.


Transporte interurbano
Campina Grande dispõe de um moderno Terminal Rodoviário de Passageiros - o Terminal Rodoviário "Argemiro de Figueiredo" - que estabelece interligação com os mais importantes centros e capitais da região e de todo o país, registrando um grande fluxo diário de passageiros.

Para dar suporte a ônibus que fazem linhas intermunicipais de curta distância, a cidade dispõe ainda do Terminal Rodoviário "Cristiano Lauritzen", popularmente conhecido como Rodoviária velha.


Transporte urbano

As moto-táxis em Campina Grande são cadastradas pela prefeitura.O sistema de transportes urbanos da cidade é gerenciado pela Superintendência de Trânsito e Transportes Públicos - STTP, autarquia municipal de direito público, com autonomia administrativa e financeira. Entre outras atribuições, cabe à STTP planejar, coordenar e executar o sistema viário de Campina Grande, além de controlar o sistema de transporte coletivo, moto-táxis e de taxi, no âmbito municipal.

No tocante ao atendimento, cerca de 95% da área do Município é servida pelo sistema de transporte coletivo, com uma frota de mais de 190 ônibus urbanos, em 19 linhas, agrupadas em quatro grandes grupos: Circulares, Transversais, Radiais, e Distritais.

Em 2007, deu-se início à construção do primeiro terminal do sistema integrado de ônibus, no Parque Evaldo Cruz (Açude Novo). Foi também instalado o sistema de bilhetagem eletrônica em outubro de 2007.


Ferroviário
O Município é atendido pelo sistema de transporte ferroviário sob administração da Rede Ferroviária Federal (REFESA), que faz a interligação com várias cidades do estado, do litoral à zona sertaneja (inclusive sua capital, João Pessoa), com o porto de Cabedelo, além de outras capitais do Nordeste, em uma linha que percorre desde Propriá, em Sergipe, até São Luís, Maranhão.

Este tipo de transporte disponível é um grande reforço de infra-estrutura, permitindo o escoamento de parte importante da produção do estado para outros centros de consumo e o barateamento dos custos de transporte.


Aeroviário

Fachada do Aeroporto Presidente João Suassuna.O sistema de transporte aeroviário de Campina Grande dispõe do Aeroporto Presidente João Suassuna - com pista de 2000 m de extensão por 45 m de largura - que possui todo o serviço de infra-estrutura para o apoio e a segurança das aeronaves. Operando com tráfegos regular e não regular, conta com vôos diários, interligando cidade aos mais diversos centros e capitais do país.

A cidade dispõe também de um Aeroclube, localizado no distrito de São José da Mata, que opera com aviões de pequeno porte, nas atividades comercial e de lazer.


Educação
História
Foi em 1822 que foi fundada a primeira escola em Campina Grande, numa época que a lei exigia o ensino da leitura, das quatro operações matemáticas básicas, noções de geometria prática, gramática do português e a religião católica. O primeiro professor da rede pública de Campina Grande foi Antonio José Gomes Barbosa.

Até o ano de 1849, só podiam participar das escolas públicas em Campina Grande pessoas do sexo masculino. As primeiras escolas para mulheres foram criadas em 1857.

O primeiro grupo escolar da cidade foi o "Solon de Lucena", que existe até hoje. O prof. Clementino Procópio fundou a primeira escola privada em Campina Grande, a escola "São José". Depois disso, outras escolas particulares, como o colégio Pio XI, colégio Alfredo Dantas e, em 1931, o colégio Imaculada Conceição (DAMAS), todos existentes até hoje.

Em 1954, foi fundado o Colégio Estadual da Prata, também conhecido como "O Gigantão da Prata".

Atualmente
Campina Grande dispõe de uma ampla rede escolar e universitária que se destaca não só pela quantidade dos estabelecimentos públicos e privados existentes, mas pela extensão, desde o ensino fundamental até a pós-graduação, abrangendo várias áreas do conhecimento humano.


Ensino fundamental e médio
Campina Grande possui o maior colégio estadual de ensino médio da região, o Colégio Estadual da Prata (Colégio Estadual Dr. Elpídio de Almeida) , fundado em 1954, com capacidade de mais de 3500 alunos, que beneficia não somente estudantes campinenses, mas de diversas cidades.


Escolas técnicas

Portão de entrada da Escola Técnica Redentorista.Existem instituições de ensino profissionalizante em nível médio, tanto públicas quanto privadas, capacitando ou treinando mão-de-obra especializada em atendimento às demandas dos diversos setores econômicos. Instituições como SESI oferecem diversos cursos profissionalizantes. Na parte técnica, uma escola bastante tradicional é a Escola Técnica Redentorista. O IFPB - Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia da Paraíba oferece cursos técnicos nas áreas de Informática e Mineração.

Em 2003, de acordo com o IBGE, existiam 80.427 alunos matriculados para o ensino fundamental para 3688 professores e 19 764 alunos de ensino médio para 1108 professores.


Universidades públicas
Possui três universidades públicas:

Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia da Paraíba - IFPB - Campus Campina Grande
O Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia da Paraíba é uma instituição de ensino superior e técnico, pública e federal, que possui uma unidade descentralizada em Campina Grande, inicialmente a instituição conta com um curso superior, o de tecnólogo em telemática, o início das atividades do IFPB em Campina Grande ocorreu no final de 2006, suas turmas pioneiras iniciaram suas atividades no início de 2007. O campus do IFPB - Campina Grande, está localizado no bairro dinamérica nas proximidades do ginásio de esportes "O Meninão".

Universidade Federal de Campina Grande
A Universidade Federal de Campina Grande (UFCG) é uma instituição de ensino superior, pública e federal, fundada 2002 como um desmembramento da UFPB. É considerada um dos pólos de desenvolvimento científico e tecnológico do Nordeste, onde realizam-se diversos cursos de pós-graduação, nos níveis de especialização de mestrado e doutorado. A UFCG possui cinco campi, localizados nas cidades de Campina Grande, Patos, Sousa, Cajazeiras e, o mais novo, Cuité, no sertão do estado.

Universidade Estadual da Paraíba
A Universidade Estadual da Paraíba (UEPB) possui sede em Campina Grande com outros campos em Lagoa Seca, Guarabira e Catolé do Rocha. Em 2006 foram inaugurados campi da universidade estadual em Monteiro, Patos e João Pessoa.

Foi fundada em 11 de outubro de 1987 pelo então Governador da Paraíba, Tarcísio de Miranda Buriti, deixou de ser chamada de Universidade Regional do Nordeste para se transformar em Universidade Pública Estadual, reconhecida pelo Conselho Federal de Eduação em 1996.

A UEPB hoje conta com cerca de 30 cursos de gradução com mais de 10 mil alunos.


Universidades particulares
Outras escolas de ensino superior, particulares, são:

Faculdade de Ciências Sociais Aplicadas - FACISA
Faculdade de Ciências Médicas de Campina Grande - FCM
Escola Superior de Aviação Civil - ESAC
Centro de Educação Superior Reinaldo Ramos - CESREI
Faculdade Anglo-Americano
Faculdade de Teologia e Filosofia da Católica - CATÓLICA
Universidade Corporativa da Indústria da Paraíba - UCIP
Instituto Campinense de Ensino Superior - ICES
União do Ensino Superior de Campina Grande - UNESC
Universidade Estadual Vale do Acaraú UVA - UVA
Faculdade Maurício de Nassau
Centro de Educação Profissional de Campina GrandeSENAC

Saúde
Campina Grande conta com dezenove hospitais, 93 unidades básicas de saúde, três centros de referência de saúde, além do Serviço Municipal de Saúde.


Hospitais
Existem em Campina Grande dezenove hospitais, distribuídos entre públicos – federal, municipais e filantrópicos – e privados. Juntos, estes hospitais oferecem um total de 3466 leitos hospitalares. Em média, existem aproximadamente 182 leitos por unidade hospitalar.

Praticamente, isto significa que há um leito para 104 habitantes. Os hospitais de maior porte são o público federal, com 239 leitos, o particular, que é o Hospital Clipsi, os dois hospitais públicos filantrópicos, com uma média de 224 leitos por unidade.

Atualmente o governo estadual está construindo o Hospital de Emergência e Traumas de Campina Grande que será o maior da Paraíba, com previsão de atender, além da própria cidade, mais de 140 municípios da Paraíba, do Rio Grande do Norte, de Pernambuco e até do Ceará.